Apolônio de Carvalho

“… o PCB não se preparara – e não mobilizara o movimento popular para fazer frente ao golpe conservador (de 64). Alimentava a ilusão de que o exército estaria conosco.”
Apolônio de Carvalho. “Vale a pena Sonhar”. Rio de Janeiro, Rocco, 1997, pg. 186.

Anúncios
Padrão

Apolônio de Carvalho.

“No dia 20 todo o Sudoeste da França – um quarto do país – estará liberto graças a seus soldados sem uniforme; e com participação crescente do povo, e sem a presença de um único soldado das forças aliadas, agora a caminho de Paris. Pensam em contornar a capital, declarando-a cidade aberta.”
Apolônio de Carvalho. “Vale a pena sonhar” . Rio de Janeiro, Rocco, 1997, pg. 166

Padrão

Apolônio de Carvalho.

“… os anarquistas foram a alma das grandes conquistas da República e os criadores do tipo espanhol de revolução social, próxima, por sua abrangência e por apoiar-se decididamente na participação direta do povo, à experiência pioneira da Comuna de Paris.”
Apolônio de Carvalho. “Vale a pena sonhar”. Rio de Janeiro, Rocco, 1997, pg. 120.

Padrão

914ff16ed7c0551c6dfd3cb2a25fb127

Imagem

“Quanto é suficiente?”

“Sabemos, por experiência, que os desejos materiais desconhecem os limites naturais e se expandirão infinitamente se não forem conscientemente refreados. O capitalismo se apoia sobre a infinita expansão dos desejos. (…). O capitalismo nos deu riquezas além da medida, mas afastou delas o seu principal benefício: a consciência de ter o suficiente.”
Robert Skidelsky. “Quanto é suficiente?”. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2017, pg. 95.

Padrão

Um Comunista

Um Comunista
Caetano Veloso

Um mulato baiano
Que morreu em São Paulo
Baleado por homens do poder militar
Nas feições que ganhou em solo americano
A dita guerra fria
Roma, França e Bahia

Os comunistas guardavam sonhos
Os comunistas! Os comunistas!

Padrão