Erasmo de Roterdam

“Cada coisa mostra duas faces. A face exterior mostra a morte; olhem no interior, e lá há vida, ou inversamente. A beleza encobre a feiúra, a riqueza a indigência, a infâmia a gloria, o saber a ignorância… . Em resumo abram o Sileno e encontrarão o contrário que ele mostra.”
Erasmo de Roterdam . “Elogio da Loucura”

Anúncios
Padrão

Ronda

De noite eu rondo a cidade
A te procurar sem encontrar.
No meio de olhares espio,
Em todos os bares
Você não está…
Volto pra casa abatida,
Desencantada da vida.
O sonho alegria me dá:
Nele você está.
Ah, se eu tivesse
Quem bem me quisesse,
Esse alguém me diria:
“Desiste, esta busca é inútil”.
Eu não desistia,
Porém, com perfeita paciência
Volto a te buscar.
Hei de encontrar
Bebendo com outras mulheres,
Rolando um dadinho,
Jogando bilhar
E neste dia, então,
Vai dar na primeira edição:
Cena de sangue num bar
Da Avenida São João.

Paulo Vanzolini

Padrão

Apolônio de Carvalho

“…. todos os avanços civilizatórios arrancados ao capitalismo nesse século , no terreno das liberdades democráticas e no campo das condições de vida da população , foram resultado dessas lutas do movimento social, com a presença ou sob a direção dos que lutavam pelo socialismo.”
Apolônio de Carvalho . “Vale a pena sonhar” . Rio de Janeiro, Rocco , 1997, pg. 229

Padrão

Aziz Nacib Ab’Sáber

“Por fim, existe a necessidade inadiável de colocar na testa das elites conservadoras um pensamento filosófico incontestável: ninguém escolhe o ventre para nascer; ninguém pode escolher o lugar geográfico para vir ao mundo; e, também ninguém escolhe a condição socioeconômica para sobreviver. E, sobretudo, ninguém teve a felicidade de despertar para vida em condições socioculturais favoráveis. A gente nasce aonde o acaso determinar. E disso decorre a necessidade em pensar e respeitar os mais pobres e marginalizados, porque todos são seres humanos como nós e nós outros!”
Aziz Nacib Ab’Sáber . “Escritos Ecológicos”. São Paulo, Lazuli, 2006, pg. 10

Padrão