Gorender

“…, ao invés da teologia , do finalismo ideológico , o reconhecimento do progresso histórico decorre de um critério objetivo : o da imanência da dialética entre o desenvolvimento das forças produtivas – em primeiro lugar , os próprios homens – e a revolução das relações de produção.”
Jacob Gorender . ”O Escravismo colonial” . São Paulo, Ática, 1978, pg. 30 e 31

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s