Intolerância em nome da fé

“Embora nem todo cristão-novo fosse judaizante – e o criptojudaísmo variasse de forma e intensidade conforme o afastamento do período de liberdade religiosa em Portugal -, todo o grupo passou a ser visto como herege em potencial. Exemplo desta desconfiança generalizada aconteceu em 1505, em Lisboa, quando um grupo de pessoas dizia que um reflexo de luz sobre uma imagem era um milagre. Um cristão-novo tentou explicar racionalmente o fato e acabou acusado de heresia e queimado na fogueira, dando início à matança de milhares de pessoas em poucos dias.”

Angelo Adriano Faria de Assis. “Intolerância em nome da fé” in Nossa História 3(32): 18-19, junho de 2006.  

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s