Jayme Brener

“A política do ‘terceiro período’ afastou do PCB muitos intelectuais, acusados de serem pequenos burgueses e portanto despreparados para a revolução proletária. Entre os dissidentes estava a escritora Rachel de Queiroz.  Um dos seus livros foi censurado por dirigentes operários do partido , que não concordavam com a personagem de uma prostituta, filha de trabalhadores. Segundo eles, a prostituta deveria ser filha de burgueses.”

Jayme Brener. “1935: A Revolta Vermelha”. São Paulo: Ática, 1994, pg.16.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s