Paintings from Dutch Brazil

Benjamin Breen

Dutch Brazil, which officially called itself ‘Nieuw Holland,’ was a short-lived (1630-1654) state in the north-east of Brazil that resulted from the Dutch Republic’s aggressive policy of territorial expansion at the expense of the Portuguese colonies in the first half of the seventeenth century — a policy that also led to the Dutch occupation of Portuguese Angola between 1641 and 1648 and a number of annexations in Portuguese India, including the city of Cochin (see below).

These devestating defeats for the Portuguese crown sprang from a combination of factors — the Dutch were a nation on the rise in this period, and the Portuguese, junior partners in the Iberian Union of the 1580-1640 period, found themselves with diminished resources and man-power to defend their far-flung empire. The tide began to turn in the 1620s (see my previous post on the Portuguese-Spanish defeat of the Dutch in Bahia, 1625)

Ver o post original 352 mais palavras

Padrão

Marilena Felinto.

“Também me lembro que a única coisa que me movia para diante na escola era um certo espírito de competição, uma vontade de mostrar para mim mesma e para o mundo que eu podia tirar notas altas, superar as adversidades e os outros alunos. As provas, os exames de fim de ano, eram um desafio excitante. Naquele tempo, estudar ainda era igual a aprender na vida. Como conceber a escola sem isso? A bomba me parece melhor, portanto, do que a escola facilitada de hoje: uma instituição que só serve para perpetuar as desigualdades específicas das classes.”
Marilena Felinto. “Bomba, repetência, a escola que funcionava”. in Folha de S. Paulo , 5/12/2000, pg. C2.

Padrão

É GREVE GERAL! Pelo Brasil afora, o 28 de Abril de 2017 marca uma nova etapa de resistência e contestação à avalanche de retrocessos que veio na esteira do golpe parlamentar-jurídico-midiático de 2016

A CASA DE VIDRO.COM

É GREVE GERAL!

Brasil afora nesta Sexta-feira, 28 de Abril de 2017: nenhum direito a menos, não ao golpe contra o trabalhador! #ForaTemer!

COMPARTILHAR NO FACEBOOK ESTE PANFLETO

Siga: A Casa de Vidro [www.acasadevidro.com]

Acompanhe a cobertura pelas páginas: Mídia NinjaJornalistas LivresPOVO SEM MEDORevista FórumBrasil de FatoMobilização Nacional IndígenaMTST – Movimento dos Trabalhadores Sem-TetoThe Intercept BrasilJuntosLevante Popular da JuventudeFrente Brasil PopularCTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do BrasilAgência PúblicaCartaCapitalOutras PalavrasCarta MaiorRádio Yandê.


ARTIGOS DE INTERESSE

Antonio Martins, Mídia Ninja: “Crescem os sinais de que a greve geral desta sexta-feira será um protesto vasto e múltiplo. A iniciativa foi do movimento sindical, mas a chama da revolta se alastrou. Ela é…

Ver o post original 1.054 mais palavras

Padrão

Dostoievsky

“…, a pobreza não é um vício, evidentemente! Sei também que a embriaguez não é uma virtude, o que é lastimável! Mas a indigência, a indigência é um vício. Na pobreza conserva-se ainda um pouco da dignidade natural dos nossos sentimentos; na indigência nada se conserva. O indigente nem sequer é expulso a cacetadas da sociedade; é a vassourada, o que é muito humilhante! E há realmente nisto razão: porque o indigente é sempre o primeiro a aviltar-se. Ai está a significação da taberna!”
Fiodor Dostoievsky. “Crime e Castigo”. Rio de Janeiro: Pongetti, 1941, pg. 14.

Padrão

Fernando Pessoa (1935)

Liberdade

Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada.
Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura.

O Rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa…

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor , quando há bruma,
Esperar por D. Sebastião,
Que venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças…
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

O mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca…
Fernando Pessoa (1935)

Padrão

Mário Soares

“Portugal vai sair da crise dentro da Europa. A Grécia foi o berço da nossa civilização. Os alemães só fizeram guerras. Nós descobrimos o mundo. É muito diferente”
Mário Soares. “Entrevista” in Folha de S. Paulo, 30/6/2013, pg. B 19.

Padrão