Darcy Ribeiro

“Brasília me devolve aos mairuns, aos nossos mitos de criação. Eles situam aqui o que há de mais sinistro. Brasília é o mundo mairum que se transfigura. O pior do nosso mundo aqui se converte. Floresce? Esta região das nascentes do Iparaña para nós é uma espécie de inferno, é a boca do mundo subterrâneo: morada de Mairahú. Aqui só viveram enormes cachorros negros de bocarras gigantescas: os guardiões da morada da Maíra-Monan, meu Deus-Pai, ingênuo, feroz, caprichoso. Assusta pensar que justamente a morada de Maíra- Monan é, agora, o umbigo do Brasil. Qualquer mairum, desaconselharia construir aqui a capital nova. Para nós, tudo de bom deve existir lá para foz do Iparaña, onde esta o Inimaraer, as terra sem mares, nosso paraíso perdido: o reino prometido dos desesperados sem remédio.”
Darcy Ribeiro. “Maíra”. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, pg. 132.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s