Abrindo um Abcesso Fechado na Praça Pública

Blog do Zé Celso

Abrindo um Abcesso Fechado na Praça Pública

Antecedentes de uma BOMBA Q TENHO Q DESPACHAR NA PRAÇA PÚBLICA.

-Dia 16 d Ah!gósto, comemoramos56º anos de vída doTeatro Oficína  com o Filme “O Rei da Vela” nos Projetores, voltados pra 5 Telas deste Terreiro Elektrônico, numa  Sessão Pública.

Estavam presentes os Artistas da “Macumba Antropófaga” y os q ensaiam agora a peça ”O Rei da Vela 2017”.

Aconteceu o milagre da Arte do Cinema ao Vivo.

A Projeção do filme somou-se a dos corpos presentes, os seres humanos q viram y ouviram.
Principalmente as Energías das Atrizes y Atores q vão fazer a peça “O Rei da Vela”, y dos q estão na “Macumba Antropóga” em Cartaz nos Fins de Semana no Teatro Oficina, criaram a Sessão, das muitas q assistí: a mais Béla!

Dia seguinte: 17

Prólogo

Meu Adorado Amigo Eduardo…

Ver o post original 845 mais palavras

Padrão

Érico Veríssimo

“Os livros escolares, cujo objetivo é ensinar-nos a historia da nossa terra e do nosso povo, são em geral escritos num espírito maniqueísta, seguindo as clássicas antíteses – os bons e os maus, os heróis e os covardes, os santos e os bandidos.
Via de regra, não se empregam nesses compêndios as cores intermediárias, pois os seus autores parecem desconhecer a virtude dos matizes e o truísmo de que a História não pode ser escrita apenas em preto e branco.”
Érico Veríssimo. “Incidente em Antares”. São Paulo, globo, 1995, pg. 24.

Padrão

Hannah Arendt

“…, a frase socrática, ‘sei que nada sei’, não significava mais do que: sei que não tenho a verdade para todos, não posso saber a verdade do outro, a não ser perguntando-lhe e, assim, conhecendo a sua doxa, que se lhe revela distintamente de como se revela aos outros.”
Hannah Arendt. “A dignidade da política”. Rio de janeiro, Relume-Dumará, 1993, pg. 100.

Padrão

Friedrich Nietzsche em hospital psiquiátrico, em 1899.

Friedrich Nietzsche em hospital psiquiátrico, em 1899.

Imagem

Karin Hueck

“Aos 22 anos, o rapaz (Gilles de Rais) de origem nobre entrou para a carreira militar e comandou uma tropa na Guerra dos Cem Anos, ao lado de Joana d’Arc, para lutar contra os ingleses. Logo, Gilles começou a demonstrar fortes tendências sádicas. Mas foi apenas em 1432 que o lado sombrio de sua personagem realmente tomou conta: o rapaz começou a se interessar por sangue e assassinatos. Sua maior diversão era executar crianças em seu castelo. Gilles convidava os pequenos, oferecia-lhes um banquete e bebidas extravagantes, e depois dava inicio às sessões de tortura. Geralmente, pendurava as vítimas antes de lhes cortar as cabeças.”
Karin Hueck. “O lado sombrio dos contos de fadas”. São Paulo: Abril, 2016, pg. 140 e 141.

Padrão

Jacques Derrida

“Se há um discurso que tende hoje a prevalecer sobre a nova cena do geopolítico (…), é este, que diagnostica em todos os tons, com uma certeza imperturbável, não somente o fim das sociedades construídas a partir de um modelo marxista, mas o fim de toda a tradição marxista, até mesmo da referência à obra de Marx, para não dizer o fim da história simplesmente. Tudo isto teria, enfim, atingido seus confins na euforia da democracia liberal e da economia de mercado.”
Jacques Derrida. “Espectros de Marx”. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994, pg. 81.

Padrão

116692613.jpg

Kirk Douglas e da atriz Ruth Roman de 1949.

Imagem