Communist/Trade Union poster from the Spanish Civil War, 1930s

Anúncios
Padrão

A arte não moraliza

rosane pavam

Um passeio pela Pinacoteca de São Paulo contraria a pretensão de que as exposições devam ou possam suportar os limites fascistas-doria-estrumianos de breve moral

Somos todos moralistas. A moral é uma tentação que praticamos. Mortal.

Cada moral é contraposta a outra no decorrer do tempo. Eis por que o moralismo diz respeito a nós, seres humanos, não à arte.

Quando vejo a violenta Barbie à toa que é o atual prefeito de São Paulo discorrer sobre os limites do aceitável dentro do fazer artístico, a implicar nele, portanto, uma moral (ou seja, uma duração no tempo), sei que ele está apenas interessado em exercer a política, esta prática imanente, rentável e ligeira. Doria não transcende, não é artista.

Pinacoteca Saudade Almeida Junior .jpgSaudade, óleo sobre tela de Almeida Júnior, 1899

Fui à Pinacoteca de São Paulo na última semana, porque não poderia, naquele momento, pertencer a outro lugar. Lá sorvo, de tempos em…

Ver o post original 702 mais palavras

Padrão

Olho de lince (Waly Salomão – 1944-2003)

Olho de lince (Waly Salomão – 1944-2003)

quem fala que sou esquisito hermético
é porque não dou sopa estou sempre elétrico
nada que se aproxima nada me é estranho
fulano sicrano beltrano
seja pedra seja planta seja bicho seja humano
quando quero saber o que ocorre à minha volta
ligo a tomada abro a janela escancaro a porta
experimento invento tudo nunca jamais me iludo
quero crer no que vem por aí beco escuro
me iludo passado presente futuro
urro arre i urro
viro balanço reviro na palma da mão o dado
futuro presente passado
tudo sentir total é chave de ouro do meu jogo
é fósforo que acende o fogo de minha mais alta razão
e na sequência de diferentes naipes
quem fala de mim tem paixão

Padrão

terra-em-transe2

terra-em-transe

Imagem

Maurice Goldelier

“Esta perspectiva permite eliminar o mito de um estado da humanidade em que os homens teriam vivido sem economia ou sem relações de parentesco ou sem representação do mundo. Desde que a humanidade existe, estas funções existem com um conteúdo e uma forma determinados, e esse conteúdo e essa forma transforma-se com a história e pela história.”
Maurice Goldelier in Copans, J. « Antropologia ciência das Sociedades primitivas ». Lisboa: Edições 70, 1974, pg. 248.

Padrão

Lévi-Strauss

“A tradição judaico-cristã colocou o homem como senhor e mestre da criação. E a filosofia, depois do Renascimento, digamos desde seiscentos, lhe deu muito espaço. O homem não conheceu limites a seu poder e começou a destruir a si mesmo. Tudo isto é contrário àquilo que me ensinaram os povos falsamente definidos primitivos: eles têm uma concepção muito mais equilibrada do lugar subordinado que o homem deve ocupar na ordem natural .”
Lévi-Strauss. “Entrevista” in Folha de S. Paulo, 23/05/1993, pg. 6-7.

Padrão

Llosa

“E uma das melhores credenciais da Espanha para avançar e prosperar no mundo globalização é exatamente a variedade de culturas que a torna um pequeno mundo multifacetado e versátil dentro do grande teatro do mundo atual.”
Mario Vargas Llosa. “Direito de Decidir” in O Estado de S. Paulo, 29/9/2013, pg. A21.

Padrão